Surf, Golf e 4 Non Blondes

Entra lá no seu Spotify e procura What’s Up, 4 Non Blondes.

Ok, pode voltar para cá.

Sente de frente para uma árvore, olhe bem as raízes e olhe para a copa, que está lá quase no céu, por pelo menos cinco minutos. Agora vai lá, na Netflix. Já assistiu Sense8?

Agora sim vamos começar a pensar juntos.

Por que as pessoas repetem sem parar que querem mudar de vida, que não querem mais os jeitos antigos de trabalhar, de viver, de compartilhar, de ganhar, de perder? Por que imploram por mudanças dos outros? Por que quando finalmente algo muda, os moderninhos de plantão travam, como se fossem crianças no primeiro dia de aula e ficam esperando alguma direção da professora da classe ou procuram um olhar da mãe no vão da porta da escola? Lembrando que aqui não estamos falando de crianças; estamos falando de gente grande, que vai ter que enfrentar o swell, que vai ter que parar de falar em mudança e vai ter que liderar a inovação antes de mais nada em si mesmo. Gente que vai ter que mudar seus conceitos de direitos e deveres, mudar seus conceitos do que é ser e do que é estar conectado; vai ter que parar de esperar a onda e começar a surfar, porque a série que está entrando é das grandes e quem dropar no momento errado vai tomar um belo caldo.

Agora, não tá a fim de surfar? Sem problemas, ainda tem alguns campos de golf pra você jogar.
E por que 4 Non Blondes, Sense8 e a árvore? Porque essas três coisas podem te ajudar a sentir uma mudança que não dá pra explicar. Me diga você também, what’s going on?

Blog é bem old fashion. Tem rede de boomer, rede de millennial, rede de Z. Haja rede pra tanta conversa.